quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Fanfarlux

Impulsos de última hora levaram-me até ao Lux Frágil para assistir à estreia dos Fanfarlo em palcos lisboetas. A banda de «Reservoir» (2009) mostrou-se agradada por estar em Lisboa e extremamente satisfeita por verificar que a longa digressão do debut álbum está prestes a terminar. Um ano de estrada que muito tem alimentado e animado o youtube e demais vias. Para os habituais seguidores deste meu devaneio blogger, estarão certamente recordados de que «Reservoir» foi uma pequena lembrança da minha última passagem por Genève. Na altura, assegurei que a sonoridade destes Fanfarlo era bastante familiar, devido às nítidas aproximações aos Arcade Fire, Beirut, Okkervile River, Neutral Milk Hotel e, aqui e ali, Bruce Springsteen, e deixei no ar a minha intenção de ver a banda ao vivo. Ora bem, tal como sucede em disco, as músicas dos Fanfarlo no formato live não surpreendem por aí além, mas também não desiludem. Canções pop com alma indie que cumpriram os requisitos e animaram uma plateia que se apresentou demasiado distante. Pelo palco da restrita cave do Lux Frágil passaram os excelentes temas que compõem «Reservoir», como são exemplo «These Walls Are Coming Down», «Fire Escape», «Harold T. Wilkins, Or How To Wait A Very Long Time», «Drowning Men», «I’m A Pilot», «Luna», «Ghosts» e uma canção nova que revelou a vontade da banda em expandir os seus horizontes e percorrer os saudosas caminhos dream pop de uns This Mortal Coil, Dead Can Dance e Cocteau Twins. Concerto morno, é verdade, mas que resultou numa simpática noite de terça-feira, a qual já nos tinha presenteado nova desilusão futebolística…
.

1 comentário:

Carmen G. disse...

Pois foi uma noite de terça-feira muito bem passada! Gostei muito do concerto. Aligeirou, sem dúvida, o resto da minha semana.